Sobre cavaleiros, cavaleiras e amazonas

Recentemente eu publiquei uma postagem falando um pouco sobre os personagens da história. Essa postagem gerou uma discussão (sadia) no Facebook. O motivo foi a seguinte descrição da personagem Lianny:

Lianny: Cavaleira da Ordem dos Guardiões da Luz e caçadora de relíquias. Tem uma personalidade distante, fria, calculista e observadora. Foi para a cidade de Vyzar a procura de uma pista para uma relíquia rara que está procurando. Seu passado e suas intenções são um completo mistério. Sua descendência é do clã do Anjo.

Um amigo apontou que o feminino de ‘cavaleiro’ é ‘amazona’. Ele está absolutamente correto, mesmo assim eu mantenho ‘cavaleira’ na descrição. Vou tentar explicar meu ponto nessa postagem e de quebra falarei um pouco mais sobre o universo de Erys.

Primeiro de tudo, quero deixar claro estou usando o vocábulo ‘cavaleira’ (assim como ‘cavaleiro’) em um sentido um tanto distinto do que você pode imaginar. O que geralmente entendemos por cavaleiro vem daquela figura da era medieval, um homem que fazia parte de uma Ordem da Cavalaria, guerreiros montados a cavalo ou coisa do tipo. Era uma posição social nobre, de status. Em geral não era permitido que mulheres integrassem uma Ordem de Cavalaria, mas é claro, existiram mulheres “cavaleiras”. Veja esse artigo. Do meu modo de ver as coisas, a sociedade machista medieval tinha dificuldades de conceder o mesmo título (e com isto eu quero dizer o nome em si) dado a homens às mulheres.

Na mitologia grega, amazonas eram mulheres guerreiras. Atualmente o termo, em português, também é usado como feminino de cavaleiro. Mas lembre que em português, cavaleiro também pode significar um homem que monta a cavalo. Assim, grosso modo, em nosso idioma o termo amazona pode significar tanto “mulher guerreira” quanto “mulher que monta a cavalo”. O nosso idioma é muito rico, mas às vezes peca por esse tipo de coisa. Observe que em inglês não há essa confusão. Usa-se o termo ‘knight’ para significar um cavaleiro no sentido de guerreiro. E o termo ‘rider’ para significar, dentre outras coisas, homem que cavalga.

Outro ponto é que o universo de Erys é certamente baseado em nossa sociedade, mas há diferenças. Uma delas é que a sociedade é mais igualitária que a nossa. É claro que há distinção e diferenças entre os gêneros, mas a coisa é menos acentuada. Qualquer pessoa, independente do sexo, pode ingressar na Ordem dos Guardiões da Luz, a maior e mais importante Ordem de Cavalaria de Erys. De modo que eu uso o termo “cavaleiro(a)” para significar um homem\mulher que foi sagrado cavaleiro, um membro efetivo e permanente da Irmandade da Luz, ungido com os óleos sagrados. O termo “amazona” é reservado a mulheres guerreiras que não integram uma ordem de cavalaria.

xena

Xena: A princesa guerreira (O que? Você achava que a Lucy Lawless não iria aparecer nesse post?)

Só para deixar a coisa ainda mais complexa, há ainda outro termo que pode ser utilizado: “guardião\guardiã”. Esse é reservado apenas para cavaleiros(as) da Irmandade que foram ungidos com o óleo da Verdade. Somente cavaleiros que sabem o segredo do ny e sabem manipulá-lo são permitidos usar esse título. Porém, esse é apenas um título interno, visto que apenas os membros da Irmandade conhecem essa hierarquia. Para as pessoas comuns, guardiões são tratados por “cavaleiros(as)” simplesmente. Lianny e seu discípulo Edrik são guardiões, visto que ambos são manipuladores de ny.

Além disso, o que eles entendem por “cavaleiro(a)” é algo um tanto diferente do que nós entendemos. Cavaleiro para eles não era um profissão, como por exemplo: “ah, eu sou um cavaleiro, meu dever é proteger tal rei ou tal senhor feudal”. É claro que muitos deles servem lealmente a algum rei ou coisa similar, mas não todos. Lianny, por exemplo, oficialmente é Caçadora de Relíquias, uma espécie de antropóloga ou historiadora daquele universo. Uma caçadora que relíquias que por acaso detém o título de cavaleira, o que lhe permite certas regalias. Edrik é um estudante de Alquimia da Escola de Altos Estudos de Nissar, embora tenha interrompido temporariamente seus estudos para viajar com sua mestra. E Ian, que também detém um título de cavaleiro, embora esconda isso, estudou Ciências Naturais com especialidade em Botânica na Escola de Altos Estudos de Lyz.

Em resumo, a palavra cavaleira aqui foi usada com um sentido diferente do usual, embora haja semelhanças. Se você, por exemplo, assiste o anime ou acompanha o mangá Hunter x Hunter então posso te dizer que um cavaleiro no mundo de Erys é algo que se aproxima de um “hunter” no universo “H x H”, mas não exatamente isso. O modo de funcionamento do ny também tem certas semelhanças com o nen de HxH, mas isso é outra história, para outra postagem.

Espero ter me feito entender. Até mais e fiquem na paz. Não esqueçam que domingo tem o segundo capítulo da história. Que a Luz ilumine vossos caminhos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s