Conto: Estranhos no ônibus

Olá, pessoal! Que a Luz esteja conosco. Hoje postarei mais outro pequeno conto meu. Bem, na verdade, não é bem um conto. É um trecho de um outro projeto de livro “Um conto de duas mentes”. É uma ficção científica. Um dia pretende terminar essa obra, mas “As Crônicas de Erys” vem primeiro rsrs. Apesar de ser sci fic, tem uns trechos bem cotidianos, como esse. Espero que gostem.


Estranhos no ônibus

– É curioso isso, não acha?

E olhou para mim fixamente, com aqueles seus olhos de avelã. Fiz uma expressão de quem não tinha entendido. Disse um ‘hum?’ baixinho. Daí ela continuou.

– Essa situação. Quer dizer, essas pessoas no ônibus, pegam o mesmo ônibus todo dia, eu suponho. Devem morar próximas, no mesmo bairro talvez. E mesmo assim agem como se não se conhecem. Não falam umas com as outras. Talvez nem se conheçam de fato, além do conhecimento superficial das pessoas que se veem todos os dias no mesmo ônibus.

Disse isso e olhou para mim. Certamente esperava uma resposta. Olhei de em volta. De fato, todos calados, eram estranhos uns ao outros. Cada um no seu mundo particular. De fato, eu via algumas dessas pessoas todos os dias no ônibus. Nunca falei com elas. Nunca nenhuma delas falou comigo. O homem que estava sentado duas cadeiras a minha frente morava perto de minha casa. E nunca troquei uma palavra com ele, nem ao menos sei seu nome. Era incrível, era tudo muito impessoal, aquelas pessoas isoladas em seus mundos particulares. Tão próximas e ao mesmo tempo tão distantes umas das outras. Olhei de volta para ela e fiz uma expressão que demonstrava que eu concordava com ela.

– Não precisa ser assim entre nós. Podemos conversar se você quiser. – disse ela educadamente.

Nesse momento senti um vazio grande. Uma sensação de pequenez, sei lá. Algo me perturbava em meu interior. Encarei-a novamente. Percebi que estava entendendo as coisas da perspectiva errada. Não é que ela quisesse que eu conversasse. Era ela quem queria conversar, desabafar, falar alguma coisa. Envergonhei-me do meu egoísmo. O mundo não gira ao meu redor. Percebi que, apesar de nossa inexplicável e estranha ligação e proximidade, também éramos completos estranhos sentados lado ao lado no ônibus.

Anúncios

Um comentário sobre “Conto: Estranhos no ônibus

  1. Pingback: Conto: mergulhando nos pensamentos | As Crônicas de Erys

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s