História de Erys: A Trupe Celestial

Olá, pessoal! Que a Luz esteja convosco!

O post de hoje será para contar um pouco mais sobre a história de Erys. Hoje iremos conhecer mais sobre a Trupe Celestial. Quem acompanha a história já deve ter visto do que eles são capazes. Mas afinal de contas, quem são esses caras? O que eles querem? Para entender, precisamos voltar uns cinquenta anos.

Bem, a Trupe Celestial é um famoso grupo de assassinos e ladrões. O grupo tem algumas características marcantes. Primeiro, são apenas treze membros. Um deles é o “Mestre”, que é o líder do grupo. Os outros doze sempre andam em trios. Segundo: é (relativamente) fácil reconhecê-los, por que sempre usam tatuagens representando os 13 signos do zodíaco erysiano. O Mestre sempre usa a tatuagem de um cristal, o primeiro signo. Quando um membro morre ou deixa o grupo por qualquer motivo, um novo membro é escolhido pelo Mestre e deve tatuar o signo que o antigo membro usava. Eles são designados segundo suas tatuagens, assim temos a Serpente ou o Grifo, por exemplo.

Depois eu escrevo um post falando mais sobre o zodíaco erysiano. Mas basicamente os 13 signos representam os 13 clãs: os sete clãs primordiais e os seis criados depois da Guerra dos Sete Clãs. Ou seja, os signos, na ordem cíclica, são esses: cristal, árvore, torre, grifo, fênix, dragão, serpente, harpia, espadas, harpa, lua, ninfa e anjo.

Às vezes os membros da Trupe também são conhecidos por suas “profissões”: mago, paladino, ladino, arqueiro, templário, feiticeiro, bardo, acólito, assassino e por aí vai…

A formação inicial da Trupe, que foi criada há uns cinquenta anos, era muito forte. Eles eram tão poderosos que faziam frente aos também poderosos Guardiões da Guarda Suprema Celestial, os sete nyflyns mais habilidosos da Irmandade da Luz. Quando a Trupe foi criada, eles começaram causando um grande caos na região leste do continente Saeth, onde promoveram um grande massacre em algumas tribos selvagens. Depois, rumaram para o continente Asmyr e tentaram fazer o mesmo nas terras élficas. Foi quando a Irmandade veio em socorro. Ela enviou quatro membros da Guarda Suprema (comandando um pequeno exército de guardiões) para cuidar do caso. Houve uma grande batalha e perdas de ambos os lados. Do lado dos guardiões houve apenas dois sobreviventes: Hurthiel Lentt (da Guarda Suprema) e seu aprendiz, Jorhen Lentt (o mestre de Lianny). Do lado da Trupe, apenas três sobreviveram (a Ninfa, o Grifo e o Dragão). Houve um acordo. Os três membros sobreviventes concordaram em ir para o exílio nas Terras Além do Crepúsculo. Nunca mais se ouviu falar deles.

Vinte anos após esse incidente, a Trupe renasceu com uma nova formação, mas desde então não veem causando muitos problemas. Apenas alguns assassinatos e roubos. Trabalham mais como mercenários e caçadores de recompensa. Dessa nova formação, poucos são tão fortes quantos os antigos. No tempo da história do livro, a formação é um pouco diferente de a trinta anos atrás. São conhecidos apenas os seguintes membros:

– O Homem Negro (cristal), o Mestre.

– Arisha (serpente), a Ladina

– Irbent (grifo), o Paladino

– Seyer (fênix), o Feiticeiro

Até o final da história, conheceremos os outros três trios que compõe a Trupe Celestial. Quem viver, verá.

Ah, e antes que alguém pergunte, sim a Trupe Celestial é inspirada na Trupe Fantasma do anime Hunter x Hunter.

10931273_707075439407185_2368316466711997337_n

Jhaerys, a Assassina (Serpente). Foi uma das que morreu na batalha entre a Trupe e a Guarda Suprema | Crédito da imagem: Assassin by NadrojWobrek (Deviantart)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s